Buscar
  • Henrique Girardi

A importância da referência para o desenvolvimento de novos líderes

Venho observando, nos últimos anos, a importância da referência de outros líderes mais experientes para o desenvolvimento de novos líderes. Trabalhando com consultoria acompanhei uma série de líderes, verdadeiros gestores, que coordenam equipes e desenvolvem pessoas.


Uma das questões centrais é a relação entre líder e liderados. É de extrema relevância para o atingimento de resultados e o crescimento das pessoas. Como relação que é, traz aprendizados mútuos, recíprocos, que elevam o desempenho entre os indivíduos e o grupo.


O primeiro caso que quero comentar nesse sentido é de uma subordinada que recentemente relatou como percebia hoje a relação de amizade e carinho, que tinha com sua antiga gestora. Esse sentimento positivo pode ter atrapalhado na relação de trabalho, profissional, e em seu crescimento. Segundo ela, em muitos casos, não se tinha conversas francas, como feedbacks, por receio de magoar ou gerar algum conflito negativo. É bem provável que esse resultado também tenha sido negativo para a líder. Nesse quesito, de gestão, a gestora tinha algumas dificuldades. Conhecia muito da área de atuação, mas tinha pouca experiência e habilidade para gerir o grupo que estava subordinado a ela. Faltava o driver de gestão.


Esse tipo de exemplos é mais comum do que podemos imaginar. Quando uma empresa não possui práticas estruturadas fica refém da criatividade e iniciativa individual.


Nesse mesmo caso, acompanhei a transição e a mudança na gestão, com a saída da gestora e o início de um novo gestor, com um perfil bem diferente. A substituição do comando trouxe mudanças significativas no dia a dia do departamento. O novo gestor, apesar de não ter o mesmo conhecimento técnico que a gestora anterior, vem apresentando resultados positivos e uma nova perspectiva para os subordinados.


Em outro caso, vi uma gestora muito habilidosa em desenvolver seus colaboradores, dando desafios, autonomia, e espaço, para que cada subordinado buscasse seu crescimento. Essa gestora, com longa trajetória na empresa, se transformou em uma referência técnica e ética, sendo uma líder reconhecida em toda empresa por suas habilidades, competências e atitudes.


Além da experiência in loco, tenho orientado trabalhos de conclusão de alunos interessados em estudar o processo de liderança. Cada vez mais se debate mais a liderança, os estilos de liderança, o papel e a influência do líder, seu poder de motivar a equipe e gerar resultados positivos.


Muitos trabalhos corroboram a ideia de que cada líder possui o seu DNA de liderança e próprio estilo.


Em muitos casos percebe-se uma certa distância ou diferença de visão entre líder e liderado, sobre o processo de liderança e sua influência na motivação e entrega de resultados da equipe. Quanto maior essa diferença, maior a chance de insucesso. Não apenas pela diferença em si, que representa olhares diferentes, mas porque em muitos casos prejudica na sinergia e conexão entre as pessoas. Essa conexão é fundamental. Como qualquer relação é uma construção e exige aspectos como confiança, transparência , disposição em manter harmonia e foco nos objetivos da empresa.


O que é comum em muitos casos de sucesso é a relação positiva, ganha a ganha, entre líder e liderados.


Muitos profissionais, inclusive, buscam referências, além de seus superiores e chefes imediatos. Buscam uma gama maior de "Professores". Vejo isso de uma forma muito benéfica e sempre faço essa recomendação.


Essa relação dos novos líderes com profissionais mais experientes é muito importante. As empresas precisam pensar e colocar em prática este ponto. Faz muito diferença. As empresas precisam de líderes criadores de novos líderes.