Buscar
  • Henrique Girardi

Doenças Organizacionais

As empresas sofrem com algumas dificuldades que, em muitos casos, podem ser vistas como doenças organizacionais. São alterações no sistema organizacional que podem ser manifestadas por um conjunto de sintomas, as vezes mais ou menos perceptíveis.


Essas doenças organizacionais se manifestam de forma geral prejudicando a organização em muitas funções e departamentos. Não é algo isolado. É sistêmico.


O trabalho de consultoria a qual me dedico é, muitas vezes, visto com certa semelhança ao ofício de um médico que trata de um paciente e precisa fazer diagnóstico, receitar remédios, se preciso, e recomendar ações para combater a doença.


Em minha experiência venho observando uma doença, que aparece em empresas com baixa moral da direção junto aos colaboradores e clima organizacional prejudicado, em que os funcionários começam a contribuir menos com as possíveis melhorias da organização. Ou seja, a empresa começa a utilizar cada vez menos o potencial humano que tem.


A primeira vez que vivenciei essa doença foi em uma organização no interior de Santa Catarina, onde a direção estava com baixa credibilidade junto aos seus funcionários. Em conversas, diversos colaboradores comentavam: "já falei diversas vezes", "não adianta falar", "eu faria diferente, mas já não falo mais".


Esses comentários não foram apenas de um ou dois colaboradores. Muitos estavam com este pensamento. Os que pensavam diferente e que ainda tentavam contribuir, na verdade, estavam lutando contra uma doença que afetava a organização, e a direção ainda não tinha percebido. A falta de credibilidade gerava ainda mais dificuldades em uma organização que começava a sofrer com uma crise financeira que, posteriormente, se agravou e acarretou em um pedido de recuperação judicial.


O capital humano é o ativo mais importante em uma organização. Perder contribuições, não contar com o potencial máximo e não conseguir desenvolver esse potencial é uma fragilidade gigantesca. Quando os colaboradores deixam de contribuir é o início de uma grave situação, que pode resultar em dificuldades severas. Não perca de vista o desenvolvimento do ativo mais importante: o capital humano.